sexta-feira, 21 de março de 2014

Resenha: Convergente

ATENÇÃO, ESTA RESENHA CONTÉM SPOILERS!

Após a morte de Jeanine Matthews e a apresentação do vídeo mostrado por Tris, uma pergunta se instaura no ar: O que há do outro lado da cerca?
Evelyn dominou não só o complexo da cidade, mas também toda a Chicago, acabando com o sistema de facções, e as pessoas que a elas eram fiéis criam os Leais, um grupo que luta pela volta das mesmas. Em uma “missão” idealizada por eles, Tris, Tobias, Christina, Peter, Uriah, Caleb e Cara ultrapassam a cerca e se deparam com algo nunca imaginado antes: Um centro que observava todos seus passos na cidade e era formada por pessoas Geneticamente Puras, ou seja, divergentes.
Em meio a um mundo diferente do que estavam acostumados, eles devem fazer escolhas que podem salvar ou destruir tudo o que acreditam. Em Convergente, novas alianças são formadas, escolhas são feitas e mudanças ocorrem, deixando você de queixo caído ao final do livro. Podendo-se dizer que tem um dos finais mais chocantes que já li até hoje.
Por hoje é isso pessoal, tentei não largar spoilers, pois sei o quanto isso é ruim quando a obra ainda não foi lida. Espero que tenham gostado, até mais!

2 comentários:

  1. Nossa, comecei á ler ontem,até agora tenho gostado e tomará que continue... mas acho que vou chorar muito ao decorrer da leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu adorei, vale muito a pena a leitura, só que chorei! E não digo por ti, mas se estiver bem envolvido(a) vai acabar chorando mesmo. Obrigada por comentar :D

      Excluir